100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – ELIAS

100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – UM CONTRAPONTO AOS QUE DIZEM: SEM RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS

O profeta Elias surge na Sagrada Escritura da mesma forma como se vai: rápido como um raio de luz. No capítulo 17 do primeiro livro dos Reis ele aparece anunciando ao rei Acab uma grande seca. É assim o início de seu ministério: sem medo de anunciar tempos difíceis.
Em seguida é conduzido por Deus às torrentes de Carit onde o Senhor mostra ser seu sustento: ele beberá da torrente e comerá dos alimentos que os corvos lhe derem.
Sustentado por Deus e vivendo na intimidade com Ele, é capaz de transbordar o amor recebido na obra de misericórdia de dar de comer a uma viúva e seu filho, mesmo em tempo de grande penúria. Mas como não só de pão vive o homem, Elias manifesta o poder do Senhor ao comunicar ao menino morto a vida, ressuscitando-o e fazendo sua mãe, uma estrangeira, crer no Deus de Israel.
Elias não é apenas um taumaturgo, que opera milagres em nome de Deus. Ele os faz para levar à fé no Deus Único, o Deus de Israel. O ápice das demonstrações do poder de Deus através de sua vida profética se dará no Monte Carmelo, onde ele desafia os 450 profetas de Baal diante do rei e do povo de Deus. Que cada um invocasse o seu deus no altar dos sacrifícios e o deus que respondesse era o verdadeiro. Naturalmente Baal não responde e Elias zomba dos seus profetas quando ordena que encharquem o altar onde o Deus de Israel consumirá o holocausto com fogo e façam uma vala ao seu redor enchendo-a de água. Deus responde e queima todo o holocausto, fazendo o povo reconhecer quem é o Deus verdadeiro. Como se não bastasse o desafio vencido, Elias passa a fio de espada todos os profetas de Baal que serviam à rainha Jezabel.
A causa da seca parecia ser a idolatria de Israel, pois assim que o povo faz sua confissão de fé, Elias anuncia a volta das chuvas. Entretanto, não será um tempo de bonança para o profeta, que será provado através da perseguição de Jezabel, que lhe quer morto. O profeta foge para o deserto, mas extenuado, pede a morte. Novamente é Deus quem lhe anima, dando-lhe água e pão para que ele recobre as forças e continue seu caminho.
Elias caminhará 40 dias e 40 noites. Não será encontrado por Jezabel, mas por Iahweh dos Exércitos, por quem ele se consumia de ardente zelo. Esse encontro singular e icônico se dará no Monte Horeb, a montanha de Deus, onde outrora Moisés recebera as tábuas da Lei e onde a sarça ardeu. Deus se manifesta a Elias como uma suave brisa e lhe ordena que unja seu sucessor, Eliseu. Esse encontro com Deus no Horeb, porém, não será o último ato de Elias sobre a terra.
Após convocar Eliseu, Elias atuará fortemente a favor da justiça social no episódio da vinha de Nabot. Assim, sua vida de intimidade com Deus, sua ação em favor dos pobres, desvalidos e oprimidos e sua obediência plena à Palavra de Deus fazem com que Elias se torne o representante do profetismo em Israel, de tal maneira que séculos depois, quando Jesus sobe ao Tabor com seus discípulos, é ele quem vai aparecer ao lado de Moisés para conversar com Jesus. Com Elias aprendemos mais três razões para seguirmos a Jesus:

  •  Devemos seguir Jesus porque Ele é o Deus Único e Verdadeiro que nos chama independentemente das circunstâncias de nossa vida, se estamos na abundância ou na seca.
  • Devemos seguir Jesus porque há muitas pessoas em situações terríveis no mundo esperando pela nossa ação. Não se pode ficar acomodado em nossa vida com tanto sofrimento no mundo.
  • Devemos seguir Jesus porque Ele deseja que nossa vida seja uma transmissão de sua Palavra, de tal maneira que sejamos capazes de não apenas seguir o Senhor, mas fazer discípulos que também O sigam.

 

 

compartilhar

Rodrigo Serva Maciel

Fundador da Comunidade Católica Árvore da Vida