100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – ELISEU

100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – UM CONTRAPONTO AOS QUE DIZEM: SEM RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS

Eliseu, filho de Safat começou a seguir ao Senhor sendo discípulo do profeta Elias. Aconteceu que, Elias, partindo do monte Horeb, onde viveu uma profunda experiência de Deus ‘na fenda do rochedo’, encontrou Eliseu conduzindo juntas de bois a lavrar a terra. Elias aproximou-se e jogou o seu manto sobre ele. O manto simbolizava a personalidade e os direitos do seu dono. Elias adquire assim um direito sobre Eliseu que, compreendendo o que aquele gesto significava, correu atrás de Elias, e disse: ‘Deixa-me ir beijar meu pai e minha mãe, depois te seguirei’. Elias permitiu dizendo: ‘Vai, mas volta, porque sabes o que te fiz.’ A escolha estava selada. Já não havia como voltar atrás. Eliseu imolou as juntas de bois e com a lenha do arado, cozinhou as carnes e deu-as de comer à sua gente. Em seguida partiu e seguiu Elias, para servi-lo.
Um momento muito marcante na vida de Eliseu foi o arrebatamento de Elias. Ambos haviam partido para Gálgala, depois desceram à Betel, chegaram a Jericó, partiram para o Jordão. Ali Elias tomou o seu manto, dobrou-o e feriu com ele as águas do rio que se abriram de tal modo que foi possível atravessar a pé enxuto. Tendo passado, Elias disse a Eliseu para pedir-lhe algo antes que fosse arrebatado. Eliseu fez então um pedido ousado: “Seja-me concedida uma porção dobrada do teu espírito”. Elias disse que o único modo de ter seu pedido atendido seria se Eliseu o visse no momento em que fosse arrebatado. Enquanto caminhavam, de repente, um carro de fogo com cavalos de fogo fez Elias subir ao céu num turbilhão enquanto Eliseu exclamava: “Meu pai, meu pai! Carro e cavalaria de Israel!”. Em meio a estas calorosas exclamações, apanhou o manto que Elias deixara cair, voltou até o Jordão e feriu novamente as águas que se abriram e passou novamente a pé enxuto. Os filhos dos profetas reconheceram que Espírito de Elias repousava sobre Eliseu.
Eliseu realizou muitos milagres. Estando em Jericó e escutando as queixas do povo de que embora a cidade fosse boa, as águas eram más, Eliseu invocou o Senhor, pediu um prato de sal que lançou sobre a fonte profetizando que as águas seriam saneadas. E assim se fez conforme as palavras do Senhor através do profeta. Certa vez, estando os reis de Israel, Judá e Edom em marcha contra o rei de Moab, veio a faltar água. Os reis se dirigiram a Eliseu para consultar o Senhor que lhes prometeu água e também a vitória contra os inimigos. Outra vez, multiplicou óleo para que uma pobre viúva pudesse vender a fim de pagar suas dívidas e depois se alimentar. Intercedeu para que uma mulher estéril que lhe ajudava com solícita hospitalidade pudesse conceber, mas quando o menino já havia crescido um pouco, veio a falecer e Eliseu vindo até ele, alcançou-lhe a graça de tornar à vida. Em um tempo de fome, os filhos dos profetas haviam preparado alimento com plantas selvagens, mas quando provaram a sopa, puseram a gritar que a morte estava naquela panela, mas o homem de Deus lançou nela farinha e depois disso, nada de ruim havia mais na comida. Tendo um filho de profeta a realizar um trabalho, deixou o machado cair no rio. Eliseu cortou um pedaço de madeira, jogou-o na água, e o machado veio à tona.
Foi também Eliseu que deu ordens a Naamã, general do exército do rei da Síria, que estava doente de lepra para que se banhasse sete vezes no rio Jordão a fim de ser curado. Com estas ordens tão simples, Naamã não foi curado apenas da lepra do corpo, mas de toda a soberba que trazia dentro de si.
Tendo o rei da Síria seus planos descobertos pelo rei de Israel, acreditou que havia algum traidor entre os seus, mas era o profeta Eliseu quem orientava, segundo a luz de Deus, o que deveria fazer o exército de Israel para vencer o exército Sírio. O Senhor desvendava aos olhos do profeta as maquinações dos inimigos. O rei sírio decidiu prender Eliseu que suplicou a Deus e este confundiu o exército inimigo e livrou o profeta daquela investida.
Eliseu era consultado até mesmo por reis estrangeiros. Grande era sua fama. Estava muito envolvido nas questões políticas de seu tempo, pois era em nome de Deus que os reis de Judá e Israel deveriam governar e o profeta não deixava de exorta-los. Já enfermo, foi visitado por Joás, rei de Israel e lhe anunciou a vitória contra os sírios.
Eliseu morreu e foi sepultado. Guerrilheiros moabitas faziam cada ano incursões na terra. Aconteceu que um grupo de pessoas, estando a enterrar um homem, viu uma turma desses guerrilheiros e jogou o cadáver no túmulo de Eliseu. O morto, ao tocar os ossos de Eliseu, voltou à vida, e pôs-se de pé.
A vida de Eliseu manifesta a força do poder de Deus em gestos e palavras. Mas tudo começou no sim dado ao Senhor quando recebeu sobre si o manto de Elias… Este grande profeta nos dá razões valiosas para seguirmos Jesus:

  • O dom de seguir Jesus é uma graça recebida assim como o manto de Elias recebido por Eliseu. Não estamos começando um caminho, estamos recebendo a graça do seguimento daquele que nos chama.
  • Quem segue Jesus pode ser ousado em tudo o que pede a Ele, sobretudo no que diz respeito ao Espírito Santo. Podemos, como Eliseu, pedir uma porção redobrada do Espírito para que possamos seguir com destemor e Jesus nos atenderá. Foi Ele mesmo quem disse que o Pai concederia o Espírito aos que pedissem (cf. Lc 11,11)
  • Jesus deseja que seus discípulos realizem obras maiores que as suas e para isso confia a eles a graça de realizar milagres para que seu poder se mostre vivo e atuante em meio aos homens.
  • Através dos discípulos do Seu Coração humilde e manso, Jesus deseja destronar a soberba dos corações dos homens e assim salvar muitas almas

 

 

compartilhar

Ludmila Rocha Dorella

Responsável geral da comunidade. Consagrada da comunidade de vida e celibatária.