Sudão do Sul

por

Bispos: Basta com conflitos étnicos nos campos de refugiados. “Procuramos fazer com que os vários refugiados vivam em paz, porque continuam a confrontar-se até mesmo nos campos de acolhimento”, afirma D. Michael Didi, arcebispo de Cartum, falando da situação nos nove campos de acolhimento para refugiados do Sudão do Sul, localizados na capital do Sudão. A guerra civil no Sudão do Sul – refere a agência Fides – iniciada em dezembro de 2013, forçou milhões de pessoas a fugir, também porque o conflito imediatamente assumiu uma dimensão étnica, que se reflete mesmo nos campos onde são acolhidos os refugiados. “Cada comunidade étnica vive em lugares separados, mas se encontram nos poços, onde muitas vezes se verificam disputas entre duas ou três pessoas que degeneram em confrontos comunitários antes que se possa intervir para evitar a generalização do conflito”, explica D. Mangoria. O arcebispo reiterou que se está tentando fazer o melhor possível para enfrentar o problema do tribalismo nos campos de refugiados.

Fonte: Radio Vaticano

compartilhar

Postagens Recomendadas