100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – PAULO

por

100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – UM CONTRAPONTO AOS QUE DIZEM: SEM RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS

Paulo de Tarso é um apóstolo. Apesar de não ter feito parte do grupo dos Doze escolhidos por Jesus, fez a experiência de ter sido escolhido pelo próprio Senhor quando estava a caminho de Damasco, enquanto perseguia os cristãos. Essa escolha o transformou em apóstolo dos gentios, ou seja, escolhido por Jesus para anunciar o Evangelho aos não-judeus.
Paulo chamava-se Saulo e, apesar de nunca ter visto Jesus, não deixou de viver uma experiência pessoal com Ele. Aliás, experiência tão profunda que o fez trabalhar mais do que todos os outros, segundo seu próprio testemunho (cf. I Cor 15). Para anunciar o Evangelho aos pagãos, empreendeu quatro viagens apostólicas acompanhado de outros evangelizadores e, com destemor, expondo sua vida a inúmeros perigos, espalhou a semente da Boa Nova o mais distante que conseguiu.
A primeira vez que o vemos na Sagrada Escritura é como uma jovem testemunha do martírio de Estevão. As vestes jogadas aos seus pés indicam sua cumplicidade com o apedrejamento do protomártir. De fato, Saulo era um feroz perseguidor da Igreja, tendo efetuado muitas prisões de cristãos. O encontro com o Senhor a caminho de Damasco muda toda a sua vida. No primeiro instante após esse encontro, Saulo perde a visão e passa três dias mergulhado em escuridão, podendo olhar apenas para si mesmo. Esses três dias modelam sua conversão de maneira a prepara-lo para receber por imposição das mãos de Ananias o Batismo no Espírito Santo. O derramamento do Espírito Santo em sua vida será a propulsão que ele necessita para começar a evangelizar com grande ardor. Desse momento em diante, Saulo se consagrará cada vez mais ao anúncio do Evangelho, usando uma importante metodologia: formar comunidades de discípulos capazes de continuar a missão que ele mesmo começara em cada localidade.
O trabalho de Paulo nunca se limitou a ir nas cidades para lançar a semente do Evangelho. Após o anúncio formava as comunidades e, uma vez distante delas, as pastoreava através de suas cartas, muitas das quais chegaram até nós. Tal pastoreio nunca cessou. Até quando estava na prisão Paulo ditava as cartas para serem entregues às comunidades de discípulos. Longe, porém, de ser um obcecado por um ideal, o de anunciar o Evangelho, Paulo é alguém apaixonado por Cristo, alguém que reconhece ter sido alcançado por sua misericórdia e que não tem dúvidas de que Jesus é o único e verdadeiro bem que a humanidade precisa conhecer.

Da vocação de Paulo nós tiramos dois motivos para seguirmos Jesus:

  • Devemos seguir Jesus porque Ele é o único capaz de trocar nosso nome, isto é, mudar completamente nossa história fazendo de nós o oposto do que éramos antes de segui-lo. Assim como Saulo se tornou Paulo, o perseguidor se tornou perseguido, tudo aquilo que em mim é morte se converterá em vida através do seguimento de Jesus;
  • Devemos seguir Jesus porque não se pode receber o Espírito Santo e ficar estático, parado. Quem de fato foi tomado pelo Espírito de Deus coloca-se no seguimento de Jesus com radicalidade, deixando não só toda a hesitação como empreendendo uma verdadeira corrida pelo Evangelho e pela vida.
compartilhar