Eritreia

por

Um documento reúne o testemunho de 22 mil imigrantes entre os anos de 2016 e 2017, sendo 11 mil deles adolescentes e menores de idade. A partir do relatório, divulgado em Setembro, oito a cada 10 crianças — 77% — que fazem a rota imigratória do Mediterrâneo central foram vítimas de abuso, exploração ou tráfico. O número é bem superior aos 17% que fugiram pelo Mediterrâneo oriental. Das crianças que passaram pelo Mediterrâneo central, 72% das adolescentes do sexo feminino sofreram algum abuso sexual, enquanto 86% dos jovens do sexo masculino foram explorados com trabalhos escravos. Os adolescentes provenientes da África subsariana são os que mais sofrem abusos. O relatório constata também que viajar sozinho e o baixo nível de escolaridade são os principais fatores de vulnerabilidade. A pesquisa aponta que o maior números dos jovens imigrantes saíram da Gâmbia, Guiné, Eritréia e Bangladesh, e que pagaram entre 1 mil e 5 mil euros para chegarem à Europa. O objetivo deles é construir uma nova vida na Itália (34%), Alemanha (24%) ou França (10%).

FONTE: http://noticias.r7.com/internacional/8-a-cada-10-jovens-imigrantes-sofreram-abusos-diz-relatorio-14092017

compartilhar

Postagens Recomendadas