100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – SÃO BERNARDO

100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – UM CONTRAPONTO AOS QUE DIZEM: SEM RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS

Bernardo era filho do nobre Tescelin Sorrel e de Aleth de Montbard. Nasceu em 1090, no Castelo de Fontaine, próximo a Dijon. Era o terceiro dos sete filhos dessa família. Os pais deram uma boa formação para os filhos, incluindo o latim e a arte da versificação. Desde a infância, Bernardo demonstrou ser muito inteligente e de personalidade tímida.  Em sua juventude, tinha bela aparência, era bem educado, culto, reto e piedoso. Destacavam as virtudes da sabedoria, prudência, capacidade de convencimento e modéstia.
Com o falecimento de sua mãe e o ingresso de seus irmãos no serviço militar, Bernardo optou pela vida religiosa. Começou seus estudos com nove anos de idade na Escola Canônica de Châtillon-sur-Seine e quando decidiu ser religioso, seu pai e todos os seus familiares foram contra a sua decisão. Mas não cedeu diante dos obstáculos e ingressou na Abadia de Cister. Convenceu vários amigos e parentes a ingressarem também na vida monástica, levando consigo inúmeros candidatos para a Abadia, inclusive seu pai, irmãos, primos e amigos. Tal era a atração que Bernardo exercia em Nome de Jesus que as esposas e as mães temiam que seus maridos e filhos com ele convivessem ou o escutassem e fossem atraídos para a vida religiosa.
Bernardo era um místico, um homem de oração fecunda e durante sua vida foi pregador, prior, escritor, fundador de mosteiros, abade e conselheiro de Papas e Reis. Com espiritualidade encarnada, participou da realidade de seu tempo e foi polemista, político e pacificador.
Como era muito dedicado na Abadia de Cister, em 1115, o seu abade Estevão mandou-o com doze companheiros fundar, no Vale do Absíntio, um novo Mosteiro. Bernardo chamou o local de Vale Claro (Claraval) e daí surgiu nome de Mosteiro de Claraval e Bernardo de Claraval. Lá foi nomeado Abade. Ficou na direção por trinta e oito anos. Foi uma época de profunda fecundidade da Ordem. Os cistercienses passaram a contar com cento e sessenta e cinco mosteiros. Bernardo foi pessoalmente responsável pela fundação de sessenta e oito e pela profissão dos votos de mais de setecentos religiosos.
Bernardo tinha muita vivacidade e transbordou sua veemência em seus escritos. Escreveu numerosas obras, milhares de cartas, mais de 300 sermões; participou de disputas doutrinais sobre questões religiosas e seculares importantes da época. Foi o maior escritor do seu tempo e considerado o último dos Padres da Igreja e de grande relevância. Destacou-se também como defensor do reformismo do clero.
O contributo de Bernardo dentro da ordem foi de tão amplo e intenso que ele passou a ser considerado o seu segundo fundador. A sua capacidade de convencimento, a força de atração ao anunciar Jesus, a delicadeza e doçura de seus escritos o garantiram o título de Doutor Melífluo.  Sua saúde era frágil, provavelmente pela vida muito austera que levava. Frequentes jejuns, poucas horas de sono e severas penitências eram comuns.
Bernardo de Claraval faleceu em 20 de Agosto de 1153, com 63 anos. Em 1174 foi canonizado pelo papa Alexandre III e em 1830 foi declarado doutor da Igreja pelo papa Pio VIII.

A vida de Bernardo é inspiradora e nos lembra de três motivos para seguirmos Jesus:

  • Aquele que segue Jesus com autenticidade expande uma atração sobre as almas que o circundam, conduzindo muitas outras almas ao seguimento de Cristo.
  • O seguimento de Jesus não é alienante, pelo contrário, insere o discípulo no mundo com uma visão mais ampla e valores verdadeiros.
  • O pai e todos os familiares de Bernardo eram contrários à sua vocação religiosa. O seguimento radical de Jesus muitas vezes não é compreendido por aqueles que nos são caros, mas da mesma forma que Bernardo colheu a fidelidade de Deus na vida de sua família, no momento certo, aquele que segue Jesus deve crer que colherá a fidelidade do Senhor não só para si como também para os seus.
compartilhar

Anajúlia Gabino Mendes

Formadora Geral da comunidade e consagrada da comunidade de vida. Casada com Rodrigo Serva Maciel nosso fundador