100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – ABRAÃO

100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – UM CONTRAPONTO AOS QUE DIZEM: SEM RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS

Abrão era filho de Tare, nona geração dos filhos de Noé. Tare partiu de Ur, na Caldéia, com seu filho Abrão, seu neto Lot e Sarai, esposa de Abrão, para a Mesopotâmia e fixaram-se em Haram. Quando Abrão tinha 75 anos, Deus lhe disse: “Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção.” Gn 12, 1-2 Abrão, diante do chamado de Deus, obedeceu prontamente e foi com Sarai, sua mulher, e seu sobrinho Lot para a terra de Canaan, conforme o chamado do Senhor. Lá, acolheu mais uma manifestação divina: “Darei esta terra aos teus descendentes”. Gn 14,15 Assim, deu-se início à formação de um povo que será conhecido como o Povo de Deus.
Abrão não tinha filhos e em uma noite estrelada abriu seu coração diante de Deus e disse abertamente sobre a dor profunda de não ter uma descendência. Então, o Senhor lhe respondeu: “Levanta os olhos e conta, se podes, as estrelas do céu! A tua descendência será tão numerosa como elas”. Gn 15, 5 Abrão acreditou em Deus apesar de não ver nenhum sinal aparente de uma descendência. A realidade mostrava Sarai estéril e ele idoso. O bom senso não apontava para descendência alguma, Mas essa postura de fé foi lhe imputada como justiça.
Quando Abrão tinha 86 anos, Sarai desacreditada da possibilidade de lhe dar filhos, entrega sua serva ao seu marido e essa gera um filho. Nasce Ismael: filho de Abrão e da serva Agar. Ainda não era a manifestação da promessa divina, mas o desenrolar de uma precipitação humana que o Senhor encaminharia para o bem, como Ele sempre faz.
Já aos 99 anos de idade, Abrão teve outra aparição em que o Senhor lhe disse: “Daqui em diante não te chamarás Abrão, mas sim Abraão, porque te destinei para pai de muitas gentes. Para o futuro, não chamarás a tua mulher de Sarai, mas de Sara. Eu a abençoarei e ela terá um filho ao qual chamarás Isaac. Concluirei com ele uma aliança perpétua em favor da sua posterioridade”. Gn 18, 5. 19 O livro do Gênesis nos conta ainda que Abraão recebeu a visita do Senhor em Mambré, na hora mais quente do dia. O Senhor se apresentou na figura de três homens. Perguntando se haveria alguma coisa difícil ao Senhor, eles renovaram a promessa que Sara teria um filho e colocaram o prazo de um ano para a promessa se cumprir.
Deus, sempre fiel, cumpriu sua promessa e Sara teve um filho na sua velhice e Abraão confirmou o nome indicado por Deus: Isaac. Imagino a alegria de Abraão com a chegada de Issac e o quanto ele era cercado de carinhos e cuidados, afinal, era o filho da promessa, o esperado; a materialização da fidelidade de Deus na vida de Abraão que já tinha 100 anos. Mas, diante daquele dom, daquela graça imensa, Deus experimentou Abraão e disse-lhe: “Toma Isaac, teu filho único a quem amas, para me ofereceres em sacrifício na montanha que eu te designar”. Gn 22,2 Abraão, mais uma vez, é pronto em sua resposta e levantou-se de madrugada, preparou o jumento, cortou a lenha para o sacrifício e colocou-se a caminho com Isaac e dois servos. Ao terceiro dia, avistou a montanha do sacrifício, pediu aos seus servos que esperassem e subiu com seu filho, colocando a lenha sobre os seus ombros enquanto ele mesmo levava o fogo e o cutelo. Durante a subida, Isaac pergunta a Abraão aonde estaria o cordeiro do sacrifício e este responde pela força da fé que o impulsionava (e imagino que com o coração muito apertado) que o Senhor mesmo providenciaria o cordeiro. Quando chegaram, Abraão levantou o altar, ajeitou nele a lenha, amarrou o filho e o colocou em cima. Em seguida, pegou o cutelo para imolar a menino. Exatamente nesse momento, o anjo do Senhor disse: “Abraão! Abraão! Não faças mal ao menino. Agora sei que temes a Deus pois não poupaste teu filho único para me obedeceres”.Gn 23, 11-12 Abraão levantou os olhos e viu um cordeiro preso num espinheiro. Foi buscá-lo e ofereceu-o em holocausto em lugar do filho. Então o anjo do Senhor disse pela segunda vez: “Já que para me obedeceres não poupaste o teu filho único, eu te abençoo. Dar-te-ei uma posterioridade tão numerosa como as estrelas do céu e a areia na praia marítima. Em um dos teus descendentes serão benditas todas as nações da terra”. Gn 23, 16-18
Abraão viveu até a idade de 175 anos. Seu filho sepultou-o em Mambré, junto de Sara, sua esposa.

A vida de Abraão nos mostra importantes motivos para seguirmos Jesus:

  •  A fidelidade de Deus é infalível e seguir Jesus é também aceitar suas promessas que sempre se cumprem. Como na vida de Abraão, se cumprem no tempo do Senhor, e não no tempo de nossas expectativas humanas, mas sempre se cumprem. Abraão esperou muitos anos, porém a promessa se realizou. Aquele que segue Jesus, segue o Deus fiel às suas promessas e colhem em suas vidas as promessas de Deus.
  • Deus visita Abraão na hora mais quente do dia. Esse calor representa as impossibilidades e dificuldades na vida de Abraão de idade avançada e esposa estéril que não vislumbrava como a promessa de Deus se cumpriria. Essa visita no Mambré nos recorda o quanto Deus se manifesta em tempos difíceis, em horas limite, quando nos parece esgotar as forças. Seguir Jesus é contar com a graça de Deus que se manifesta nas horas mais difíceis da vida.
  • Abraão é o pai de todos os crentes. Ele acreditou na promessa de Deus que teria um filho mesmo sendo idoso e Sara sendo estéril. Portanto, acreditou no impossível. A fé foi seu sustento e ele pode colher o milagre. A fé em Jesus, o crer em suas palavras e ensinamentos é o início do nosso seguimento. E a fé é um dom de Deus. Deus mesmo muniu Abraão de fé. Seguir Jesus é ter a certeza que Aquele que nos chama, também é a Origem e o Mantenedor da nossa fé.
  • Abraão foi capaz do sacrifício por amor a Deus. Ele ofertou seu filho amado. Esse é mais um motivo para seguirmos Jesus: nos identificarmos com o Seu Sacrifício Único e Perfeito. Seguir Jesus é unir nosso sacrifício ao Dele.

Abraão, pai de todos os crentes, nos ensina que há motivos para seguir Jesus. Vamos responder prontamente como ele!

compartilhar

Anajúlia Gabino Mendes

Formadora Geral da comunidade e consagrada da comunidade de vida. Casada com Rodrigo Serva Maciel nosso fundador