Mãe belíssima

Que bom é termos uma mãe tão bela, belíssima!

Podemos buscar em Maria a inspiração e a força para vivermos a radicalidade do Evangelho. Se você precisa amar mais, sente-se no limite do amor, olhe para Maria que amou até a Cruz. Maria estava no auge do sofrimento humano e mesmo assim escolheu amar no momento em que seu Filho estava na Cruz, injustiçado, torturado, esmagado de dores. Ela amou no silêncio e no olhar. O olhar de Maria aos pés da Cruz comungava com as palavras de Jesus: “Pai, perdoa-lhes, eles não sabem o que fazem.” O olhar de Maria, cheio de dor era também cheio de amor, amor que crê, espera e suporta. Amor que confia absolutamente em Deus. Amor que acolhe João e com ele a Igreja inteira como mãe. Amor que não para na agonia ou na dor. Atravessa o sofrimento e sai vitorioso.
Se você acha difícil perdoar, olhe para Maria. Os companheiros mais íntimos de seu Filho o abandonaram no pior momento de sua vida. Deixaram seu Filho nas mãos dos malfeitores, não houve voz ou força que se levantasse para defendê-Lo. Maria não calculou nada, o perdão cristão não é justiceiro, não faz cálculos. O perdão é próprio de Deus e de seus filhos. Maria, como filha dileta, sabe perdoar. Dias depois da solidão aos pés da Cruz, ela estava reunida em oração com aqueles mesmos que abandonaram seu Amado Filho. É preciso alargar o coração para permitir que o perdão vença em nós, como triunfou no Coração de Maria.
Se você precisa viver o silêncio, contempla Maria, a Mulher do silêncio. Ela soube ser pequena e humilde, não quis colocar suas opiniões e certezas como primeiras. No silêncio, encontrou a Palavra absoluta que é Jesus, encontrou a paz na confiança. Calar em Deus é confiar no cuidado do Senhor, é ter a certeza que Ele conduz nossa vida e há de cuidar de tudo. O silêncio é a postura de quem deseja escutar, de quem é sedento de aprender, de quem sabe qual seu lugar e qual o lugar de Deus.
Se você necessita de fé, recorra a Maria. Como uma virgem seria mãe? Como Deus se faria homem? Como a vida venceria a morte? Como um menino de 12 anos poderia cuidar das coisas do Pai? Havia inúmeros mistérios na vida de Jesus que atravessavam a vida de Maria. Ele é mulher de fé, é feliz, é bem aventurada, pois acreditou nas promessas do Senhor. Não tinha respostas, mas tinha fé que a fez mergulhar sem temer no escuro dos mistérios divinos.
Se você busca humildade, procure Maria. Ela foi humilde desde a aceitação da vontade de Deus no anúncio do anjo, passando pela sua postura modesta ao ocupar um lugar discreto na vida pública de Jesus até sua máxima pequenez no silêncio diante da extrema injustiça da Cruz. Foi humilde ao guardar todos os acontecimentos no coração. Perseverou na humildade e em nada se orgulhou. Mãe humilde.
Olhe para Maria e encontrarás a virtude que necessitas. Maria é o modelo para todos nós em todas as situações e de todas as virtudes.

Vamos rezar:

Mãe querida, nos apresentamos diante de ti, recorremos à sua intercessão. Peça a Jesus por nós, Maria. Faltam-nos muitas virtudes, não as temos. Somos muito fracos e imperfeitos. Ajuda-nos. Queremos agradar a Deus e para isso precisamos ser homens e mulheres novos.  Mulher do Amor, da humildade, do silêncio, do perdão, da fé, da esperança, da paciência e de todas as virtudes, ensina-nos o estreito caminho da Vida. Queremos conduzir nossa vida por este Único Caminho que é Jesus. Amém.

compartilhar

Anajúlia Gabino Mendes

Formadora Geral da comunidade e consagrada da comunidade de vida. Casada com Rodrigo Serva Maciel nosso fundador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *