100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – SANTO AFONSO

100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – UM CONTRAPONTO AOS QUE DIZEM: SEM RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS

Ao final do século XVII, na Itália, nascia Afonso de Ligório. De família cristã, nobre e rica, tinha uma inteligência privilegiada, razão pela qual seu pai investiu muito para que Afonso se dedicasse aos estudos, enquanto sua mãe investia em uma sólida formação cristã para Afonso. Tão brilhante era seu desempenho que com apenas 16 anos tornou-se advogado, sendo doutor em direito civil e eclesiástico.
Mantendo viva uma intensa vida espiritual, Afonso trabalhava no fórum de Nápoles, defendendo com ardor os mais pobres, sabedor de que ninguém era por eles e não os defenderia. Assim, advogou sob a justiça de Deus por mais de dez anos, até que a derrota de forma injusta numa causa de grande repercussão que acabou por prejudicar os menos favorecidos fez com que Afonso se desiludisse com o direito. Foi assim que ele decidiu tudo abandonar para entrar para a vida religiosa.
Estudou teologia e aos trinta anos foi ordenado sacerdote, tendo adotado o nome de Maria em homenagem à Mãe de Deus. Sua inteligência foi colocada totalmente à serviço de Deus. Afonso aprofunda ainda mais sua caridade para com os pobres e se torna um grande pregador, sendo um verdadeiro canal de transformação das vidas das pessoas através da Palavra de Deus.
Seu lema de vida vem do Evangelho de Lucas: “Deus me enviou para evangelizar os pobres”. Pensando em alargar cada vez mais essa palavra em sua vida, funda a Congregação do Santíssimo Redentor, mais conhecida como dos padres redentoristas. Sua missão é especialmente pregar o Evangelho aos mais carentes, como diz seu lema de vida.
Com quase setenta anos torna-se bispo, ministério que exercerá por treze anos, interrompendo-o apenas pelo agravamento de uma enfermidade. Após esse tempo foi para um convento redentorista, vivendo quase em cegueira e paralítico. Entretanto, não cessou sua atividade. Ali completou sua extensa obra literária, composta de cento e vinte livros e tratados, dentre os quais os mais conhecidos são “Glórias de Maria”, “Tratado sobre a oração”, “Visitas ao Santíssimo Sacramento” e “Teologia Moral”.
Entretanto, a vida ainda reservava à Afonso um grande Calvário. Devido a intrigas nos redentoristas ocorreu uma cisão e ele foi expulso da Congregação que fundara pela Santa Sé. Somando isso às doenças que lhe acometiam e à grandes provações na fé, podemos dizer que Afonso mergulhou na velhice na maior prova de sua vida, saindo dela ainda mais fortalecido do que entrara.
Morreu com noventa e um anos, tendo sido canonizado apenas cinquenta e dois anos após sua morte. Menos de um século após partir desse mundo, Afonso recebeu o título de doutor da Igreja.

Com ele colhemos mais razões para seguir a Jesus:

  • Quem diz querer fazer caridade verdadeira não pode deixar de seguir Jesus, pois quando vamos ao encontro dos menos favorecidos com nosso socorro é a Jesus que estamos seguindo.
  • Temos um projeto de vida. Entretanto, será que esse é o projeto de vida que Deus tem para nós? Somente se nos colocamos no seguimento de Jesus é que descobriremos o plano de Deus para nós. Afonso atingiu muito mais pessoas como fundador do que como excelente advogado.
  • Jesus dá sentido à nossa idade avançada, nossa velhice. Como poderia Afonso ter suportado tudo o que viveu nos últimos momentos de sua existência terrena se não fosse discípulo de Cristo?
compartilhar

Rodrigo Serva Maciel

Fundador da Comunidade Católica Árvore da Vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *