100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – JOÃO

por

100 RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS – UM CONTRAPONTO AOS QUE DIZEM: SEM RAZÕES PARA SEGUIR A JESUS

João era filho de Zebedeu e Salomé, nasceu em Betsaida e seu nome significa “O Senhor fez a graça”. Era irmão de Tiago Maior e ambos eram pescadores, assim como seu pai. Estava consertando as redes de pescaria na margem do lago de Tiberíades, quando Jesus o chamou junto com o seu irmão.
Acompanhou Jesus em seu ministério, pois fazia parte do grupo dos doze discípulos e também esteve em momentos bem particulares com o Senhor. Foi com Pedro e Tiago em Cafarnaum quando Jesus curou a sogra de Pedro, presenciou a ressurreição da filha de Jairo junto de outros dois discípulos, participou do momento da transfiguração de Jesus, foi convidado pelo Mestre para acompanha-Lo em sua extrema agonia no Horto das Oliveiras e tantos outros momentos vividos na intimidade de Jesus.
Mas dois momentos são únicos de João, nenhum dos outros discípulos experimentou. Primeiro foi o fato de João se reclinar no peito de Jesus durante a Última Ceia. Era ocasião de despedida, Jesus estava ansioso por aquela Ceia e João, conhecendo seu Amigo e Mestre, se achegou o mais próximo possível, como se quisesse recolher os segredos do Coração Sagrado. E também foi o único dos discípulos que ficou aos pés da Cruz de Jesus. Acompanhou o Amado Mestre em sua dor extrema, em sua oferta máxima, mas também em seu aparente fracasso. A leitura da Cruz como Redentora vem depois da Ressurreição de Jesus. Até o momento em que Ele estava ali crucificado como um injustiçado e tratado como um criminoso, a Cruz tinha um tom de malogro aos olhos da maioria das testemunhas.
Depois de Jesus Ressuscitado, João continuou expressando sua distinção. Ao receber o anúncio da ressurreição de seu Amigo pela boca de Maria Madalena, saiu correndo em direção ao túmulo de Jesus junto com Pedro. João correu mais rápido e chegou primeiro como uma expressão de seu amor por Jesus. Mas quando chegou, esperou por Pedro e só depois que Pedro entrou, ele entrou, viu os sinais da Ressurreição e logo acreditou. Outro dia, Jesus Ressuscitado se manifestou aos discípulos nas margens do mesmo lago de Tiberíades, lugar onde aconteceu chamado de João, de dentro do barco, ele foi o primeiro a reconhecer o Senhor. Correr mais rápido, respeitar Pedro, logo crer, por primeiro reconhecer o Senhor… São detalhes que tornam João especial.
Ele é autor do quarto Evangelho, do livro do Apocalipse e de três cartas que compõem o Novo Testamento. João se auto intitula “o discípulo que Jesus amava”. Essa experiência de ser amado de forma particular e intensa é própria daqueles que se aproximam do Coração de Jesus. João se fez próximo e amigo de Cristo e com atitudes concretas foi procurando aprofundar sua amizade com o Mestre e na medida de seu desejo, experimentou o terno amor de Jesus.
João foi chamado por Jesus, junto com seu irmão de “filhos do Trovão”. Tinha o temperamento forte e certa vez desejou mandar vir fogo do céu para castigar alguns samaritanos que não acolheram o Mestre a caminho de Jerusalém. Nessa ocasião, Jesus o repreendeu. Mas o seguimento de Cristo o transformou, a ação do Espírito Santo foi tão radical em sua vida que em suas cartas escritas para a Igreja nascente deixou expressar muita ternura, paciência e acima de tudo abundante amor. Uma linguagem e intenções bem distantes daquela que desejava fazer descer fogo do céu.
Na Igreja de Jerusalém, João ocupou um lugar de destaque na orientação do primeiro agrupamento de cristãos. Testemunhou a fé diante do Sinédrio e juntamente com Pedro foi enviado pela Igreja de Jerusalém para confirmar aqueles que na Samaria aceitaram o Evangelho, pregando por eles a fim de que recebessem o Espírito Santo.
João foi exilado em Patmos, pequena ilha vulcânica no mar Egeu, por ter dado testemunho de Jesus. Seu exílio provavelmente  aconteceu durante a perseguição de Domiciano (81-96 dC). Depois veio uma anistia geral e João pode voltar a Éfeso, local que segundo uma antiga tradição, trabalhou por muito tempo e faleceu com uma idade bem avançada, na época do Imperador Trajano.
Foi um homem espiritual e místico, suas visões retratadas no Apocalipse são expressão de sua espiritualidade. Um teólogo que conseguiu exprimir o amor de Deus de uma forma concreta e insubstituível. Amigo de Jesus, colheu de seu Coração segredos que não guardou para si, mas dividiu com toda a Igreja.
João dá testemunho de Cristo. E seu testemunho nos recorda três motivos para seguir o Amado Senhor:

  •  Ao seguir Jesus nos colocamos sob a ação poderosa do Espírito Santo. O Espírito esquadrinha nosso íntimo e é capaz de moldar nosso temperamento para honra e glória do Senhor.
  •  O amor de Jesus por seu discípulo João era acolhido de forma generosa e profunda. Ao seguir Jesus, temos a oportunidade de nos sentirmos como “aquele que Jesus ama” e experimentar esse amor imenso na medida de nosso desejo.
  •  Seguir Jesus é também viver momentos únicos e particulares com o Senhor. Ocasiões que marcam nossa história de vida e nos fazem mais plenos.
compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *